Como mudar seu Mindset Empreendedor

Como mudar seu Mindset Empreendedor – Parte 1

 

 

Que tal mudar seu Mindset Empreendedor para otimizar os seus resultados?

 

Abandonar o piloto automático e arriscar-se a pensar além da sua zona de conforto (mudar seu mindset) são os dois primeiros passos na direção do sucesso em seu negócio próprio.

Pense na sua configuração mental (o chamado mindset) como a configuração de um computador. Ela pode ser “básica” (capaz de fazer o mínimo necessário) ou pode ser como um super processador (preparada para dar respostas aos problemas mais complexos com mais precisão e velocidade).

 

Quer trabalhar online, a partir de casa, mas não sabe por onde começar?

Empreendedor Online Empreendedorismo Mindset Empreendedor

 

No caso do computador, a decisão entre um e outro passa pelo valor monetário (quanto custa) de cada uma dessas máquinas. No nosso caso, o preço para acessar essa supermáquina é a disposição de crescer, aprender e passar por constantes mudanças. Ou seja, a nossa moeda se chama determinação. Essa decisão de “ser mais e melhor” é fundamental para quem quer crescer sem limites. E é exatamente neste ponto onde reside o poder do sucesso dos grandes empreendedores. Acompanhe o artigo até o final e veja o porquê disso!

 

Por que ser capaz de mudar o seu mindset é importante para um empreendedor?

No empreendedorismo, ficar preso a crenças limitantes ensinadas por pessoas que nunca foram empreendedoras e a rotinas de “piloto automático”, fazendo tudo da mesma forma como sempre fizemos, pode decretar o seu final (fracasso) como – às vezes, mesmo antes de começar.

Desse modo, para fugir disso, você precisa promover mudanças e buscar melhorias constantemente, fazendo o ajuste mais adequado à situação vivida. Porém, antes de iniciar a tal mudança, você precisa entender como funciona a nossa mente.

 

Por que “somos como somos”?

Todos os dias, quase que automaticamente e imperceptivelmente, repetimos uma série de atividades. Alguns exemplos nesse sentido são:

  • Tomar banho;
  • Sair de casa e depois não lembrar se trancou ou não a porta (pois estava distraído na hora em que saiu);
  • Dirigir sem se dar conta do percurso ou da atividade mecânica envolvida nisso;
  • Sentar-se à frente do computador na mesa de trabalho;
  • Repetir padrões de conversa (os mesmos assuntos e as mesmas piadas).
LEIA TAMBÉM:  6 dicas para melhorar a sua estratégia de desenvolvimento empresarial

Fato é que, se pararmos para listar tudo o que fazemos no modo “automático”, vamos ver que isso ocupa a maior parcela do nosso dia. E isso certamente é algo negativo. Contudo, se é ruim, por que acontece de uma maneira que nem nos damos conta?

 

Você sabe por que fazemos tantas coisas de maneira automática?

A explicação para o fato de que realizamos diversas atividades automaticamente está em nosso cérebro. Ele, muito espertamente, com o intuito de poupar esforço desnecessário, automatiza a realização daqueles processos que praticamos com mais frequência. Assim, ele consegue se dedicar a outras tarefas.

O problema é que, nesse processo, esse músculo fabuloso acaba criando rotinas, inclusive para coisas nas quais poderíamos ser melhores e nos desenvolvermos mais. Isso faz com que fiquemos acomodamos na zona de conforto que o cérebro criou para economia de energia própria.

Resultado: acabamos não nos dedicando às “outras atividades” para as quais ele estaria liberando espaço e passamos a acreditar que somos “assim mesmo” e não podemos/devemos buscar mudanças para que nos tornemos melhores.

Portanto, não estranhe quando você sentir preguiça de fazer algo diferente. Na verdade, isto é um comando do seu cérebro para que você não se esforce demais e saia da rotina que ele produziu anteriormente. Nesse processo, são instalados certos hábitos e crenças. Se forem bons hábitos e crenças fortes, isso vai nos impulsionar na busca por nossos objetivos. Todavia, infelizmente, normalmente o que se instala são os padrões de economia de energia, e isso nos limita fortemente.

A boa notícia é que agora, que você já sabe disso, está na hora de desligar o “piloto automático” e assumir o controle manual, dizendo quem é que manda na sua vida e definindo onde deve ser empregada a sua energia!

Contudo, antes de falarmos sobre as mudanças propriamente ditas, que tal entender um pouco mais sobre crenças? Para isso, confira o segundo capítulo da série, onde destaco a importância de termos crenças orientadoras, positivas e fortes para nos “empurrarem” em direção à ação!

LEIA TAMBÉM:  Microfranquias - Como Empreender com Pouco Dinheiro

 

Veja como eliminar crenças limitantes para ativar o seu mindset empreendedor

Identificar e descartar crenças limitantes são ações fundamentais para se tornar um empreendedor de sucesso.

“O homem é o que ele acredita.” (Anton Tchecóv)

Sempre pensamos em crenças no sentido de credos ou doutrinas. Sendo que muitas crenças, de fato, o são. Todavia, no sentido básico, uma crença é qualquer princípio orientador, máxima, fé ou paixão que pode proporcionar significado e direção à vida.

Estímulos ilimitados estão à nossa disposição. Crenças são os filtros pré-arranjados e organizados para nossas percepções do mundo. São como comandos do cérebro. Quando acreditamos com convicção que alguma coisa é verdade, é como se enviássemos um comando para nosso cérebro de como representar o que está ocorrendo. É isso mesmo, a crença envia um comando direto para seu sistema nervoso.

Assim, quando acredita que alguma coisa é verdade, você realmente entra no estado de entendimento de que aquilo é verídico. Tratadas de maneira certa, as crenças podem ser as mais poderosas forças para criar o bem em sua vida, pois elas são cheias de recursos fortalecedores. Por outro lado, crenças que limitam suas ações e pensamentos podem ser aniquiladoras do seu potencial.

As crenças são os compassos e os mapas que nos guiam em direção às nossas metas e nos dão a certeza de saber que chegaremos lá. Sem as crenças ou estimuladas por crenças erradas, as pessoas podem ser totalmente enfraquecidas.

Com crenças orientadoras fortes, você tem o poder de tomar medidas e criar o mundo no qual quer viver. Em essência, a história humana é a história da crença humana. As pessoas que mudaram a história – Cristo, Maomé, Copérnico, Colombo, Edison ou Einstein – foram as que mudaram (ou moldaram) as nossas crenças.

O nascimento da excelência começa com nosso reconhecimento de que nossa crença é uma escolha. Em geral, não pensamos nela dessa forma, mas a crença pode ser uma escolha consciente. Você tem total liberdade para optar por aquelas que lhe apoiem ou por aquelas que podem gerar limitações á sua existência. O truque é escolher crenças que contribuam para o sucesso e os resultados que você deseja e descartar aquelas que, de alguma forma, retardam ou impedem sua evolução.

LEIA TAMBÉM:  20 Dicas para Você se Tornar um Empreendedor Criativo

De qualquer forma, é inegável que são nossas crenças que determinam quanto do nosso potencial seremos capazes de liberar. Quando você diz que pode, você dá uma ordem ao seu sistema nervoso, que abre os caminhos para a parte do cérebro que tem capacidade de dar as respostas necessárias. Mas como podemos instalar esse novo modo de pensar e agir?

No próximo capítulo da série “Como mudar seu mindset empreendedor”, apresentarei 7 passos para ajustar O SEU MINDSET EMPREENDEDOR. São técnicas desenvolvidas por Anthony Robbins, um dos maiores profissionais de desenvolvimento pessoal do mundo e um dos responsáveis pela popularização da Programação Neurolinguística (PNL).

Avalie a importância deste artigo! Vote!
[Total: 4 | Média: 5]

Denise Vieira

Empreendedora Digital e de Marketing de Rede.
Arquiteta de formação e especializada em Economia Criativa, há 3 anos migrou todos os seus negócios para a área digital.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificar sobre
avatar